• Poesia Reunida - Volumes I E II
Detalhes

ISBN: 9788576792369
Editora: Novo Século
Data Publicação: 2009-01
Idioma: Português
Páginas: 1392
Categoria: Poesia

Baixar Poesia Reunida - Volumes I E II Grátis

Carlos Nejar

Carlos Nejar reúne sua poesia (quase) completa nos volumes AMIZADE DO MUNDO E JOVEM ETERNIDADE. Falamos de quase em dois sentidos: não apenas pelo fato de alguns textos não integrarem a coletânea (como, por exemplo, OS VIVENTES, 1999), mas também visto que, para Nejar, nenhuma poesia consegue ser rigorosamente terminada. Definindo-se, mais de uma vez como Servo da Palavra, Nejar sabe qual poeta é aquele qual persegue o impossível, uma espécie de acendedor de relâmpagos, ébrio de uma luz que, depois de passar, deixa o escuro mais escuro, pelo oposição com o brilho extinto. Vestígios dessa luz ainda queimam as mãos do poeta: palavras-labareda com qual ele reviverá a memória do clarão perdido pelo corpo do texto encontrado. No panorama da moderna poesia brasileira, Nejar ocupan uma posição consolidada, e, sob vários aspectos, à contracorrente de suas tendências mais ostensivas. O diálogo do poeta é antes com as grandes vozes da lírica ocidental (Dante, Goethe, e, mais próximos, Pound e Eliot) do que com seus conteporâneos, sem esquecermos o fascínio que lhe desperta este que poderíamos denominar discursos fundadores: a Bíblia, an Ilíada, Os Lusíadas - não para celebrar confortavelmente a segurança de uma origem, mas, ao contrário, para indagar o qual há aquém do zero, ou, na ponta oposta do futuro, para perscrutar o que se esconde ainda além do invisível. Verbo dos deslimites, na coabitação de tempos antagônicos, de geografias díspares, concretas e impalpáveis (Nos sentamos/ na tora de um milênio). Verbo porta-voz destes ventos, dos abalos sísmicos, que se alça ao tom profético e místico (Tudo é continuação de outra continuação mais inefável: Deus), mas verbo qual também sabe infletir-se na dicção intimista das canções à bem-amada Elza: Provados somos e o provar é um gomo/ desta romã partida pelas águas. / Somos o fruto, somos a dentada/ e a madureza de ir no mesmo sonho. Contudo, sobretudo, palavra movida pela paixão, pelo apelo e apego ao outro, pela solidariedade aos que, perdendo memória e identidade, a recuperam pelainvenção do passado, ou pela promessa de um futuro forjado quizila o olvido e quizila o precário. É este que se lê em de seus mais belos poemas, Contra an esperança, tramado num sutilíssimo confronto dialético entre an esperança e o desespero: É especialmente preciso esperar contra an esperança. / Esperar, amar, criar/ contra an esperança/ e depois desesperar an esperança/ mas esperar, / enquanto um fio de água, um remo, / peixes/ existem e sobrevivem/ no meio dos litígios.. Numa época em qual a contenção, o minimalismo, são erigidos, por vários, à categoria de inviolável mandamento estético, pode surpreender an exuberância discursiva de Nejar, que o leva, por exemplo, ao cultivo do poema longo, ou mesmo ao poema-livro. A questão é complexa, como percebemos que o fluvial corresponde apenas an uma das facetas de seu repertório de formas. Tal repertório inclui igualmente a prática microscópica do haicai; atravessa, com excelente resultado, o livro de sonetos (Amar, a mais alta constelação, Sonetos do paiol); transita desenvoltamente a veia lírica à épica (solapando também as fronteiras entre prosa e verso) em várias obras, dentre essas a que concentra, talvez, o projeto de elevado fôlego e de muito mais densa envergadura da poesia nejariana: A idade da aurora (1990). Classificado, pelo próprio autor, de rapsódia, o texto, numa sucessão vertiginosa de metáforas (E é um caracol a manhã pelo rugir das chamas; O mundo é uma baleia), recria miticamente um Brasil de cores, sons, aromas, sob estilo de uma fábula arquetípica a que não faltam traços de oralidade aliados an uma sofisticada trama de imagens. O poeta, mais do que criar metáforas para conotar um real que lhes seria preexistente, sugere que, ao contrário, só através da metáfora o real se pode constituir, como um de seus efeitos - sejan uma pétala, seja um país.


Tags:

Baixar Poesia Reunida - Volumes I E II, Poesia Reunida - Volumes I E II epub Grátis, Poesia Reunida - Volumes I E II pdf Grátis, ebookGrátis, Poesia Reunida - Volumes I E II online Grátis
6 Avaliações para Poesia Reunida - Volumes I E II
  1. avatar1

    Joao Vidal

    OBRIGADO!

  2. avatar2

    Andre Campos

    Estou muito feliz por tê-lo encontrei. Vou começar a ler esse final de semana :)

  3. avatar3

    Ana

    Como é baixado? Eu não consigo encontrar :S

  4. avatar4

    Pedro

    Fácil de baixar, mais um pouco chato ter que se registrar...

  5. avatar5

    Barbara Castro

    Gostei muito deste livro! Eu recomendo totalmente!

  6. avatar6

    Danilo

    Eu comprei a versão física do livro, mas perdi quando me mudei. Eu queria ler novamente, mas não queria pagar novamente, obrigado!


Adicione avaliação